top of page
Buscar

Transplante corneal: a importância da doação


Esta cirurgia pode recuperar a visão em pessoas que têm alguma deficiência visual por problemas corneais. O transplante pode ser feito de diferentes maneiras, seja substituindo toda a córnea ou apenas uma parte dela.


Diferentemente do que acontece com outros órgãos e tecidos (como coração, rim, fígado, etc.), aproximadamente 90% das córneas doadas têm condições de serem transplantadas. Elas podem ser preservadas por até 15 dias após a sua retirada.


Doenças que podem afetar a nitidez de sua córnea e colocar você em risco de necessitar de um transplante de córnea incluem:


. Cicatrizes causadas por infecções, como herpes ocular ou ceratite fúngica.

. Cicatrizes decorrentes de triquíase (uma doença em que os cílios crescem virados para dentro, em direção aos olhos, e arranham a córnea).

. Doenças oculares, como ceratocone avançado.

. Ectasia corneana (afinamento da córnea e formato corneano irregular).

. Queimaduras químicas da córnea ou danos decorrentes de uma lesão ocular.

. Inchaço excessivo (edema) da córnea.

. Rejeição de enxerto após um transplante corneano anterior.

. Falência de córnea devido a complicações relacionadas a cirurgia de catarata.


O que é preciso para ser um doador?


Para ser um doador, não é necessário fazer nenhum documento por escrito. Basta que a família seja informada e autorize a retirada das córneas, o que pode ocorrer até seis horas após a sua morte (coração parado). Mesmo que a pessoa não tenha manifestado o desejo de doação, a família pode entrar em contato com o banco de olhos, pois é a única responsável pela efetivação de uma doação, já que a retirada dos tecidos oculares só pode ser feita com a autorização da família.


A doação não altera a aparência do doador e não atrasa o enterro. A doação não acarreta nenhum gasto para a família do doador. Os custos envolvidos no preparo da córnea são cobertos pelo banco de olhos.


Os Bancos de Olhos são instituições responsáveis pela retirada, transporte, avaliação, classificação, preservação, armazenamento e disponibilização dos tecidos oculares doados.


É seguro para o paciente receber um tecido ocular doado? Existe a possibilidade de transmissão de alguma doença?


Os Bancos de Olhos cumprem "Normas Médicas Internacionais" e, no Brasil, "Normas Técnicas para o Funcionamento dos Bancos de Olhos" - da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, ANVISA, Ministério da Saúde -, que garantem o correto controle de qualidade com relação aos tecidos oculares doados.


Comments


bottom of page